22 de fev de 2011


Gostei da matéria e resolvi postar para vocês ate para o blog não ficar muito massante só com os diários.

Infestação de formigas causa perdas a agricultores na Paraíba

21/02/2011 06h59 - Atualizado em 21/02/2011 08h19


Coqueiros são o principal lugar usado para a formação das colônias.
Especialistas coletaram material para identificar o tipo do inseto.

Do Globo Rural
Uma infestação de formigas está causando problemas na comunidade rural de Engenho Velho, em João Pessoa, na Paraíba. Os agricultores têm as casas invadidas e estão perdendo lavouras e animais.
Os insetos têm perturbado a vida dos moradores. Há quase três anos elas se tornaram uma praga invadindo casas, matando animais e destruindo plantações.
A agricultora Socorro Alcântara perdeu tudo que plantou. “É durante o dia, é durante a noite, é no inverno, é no verão. Eu só sei que elas incomodam demais”, reclamou.
Apesar das formigas atacarem todas as árvores, os coqueiros têm sido os mais prejudicados já que o principal local usado para a formação das colônias. “A gente tem visto a presença desses insetos nas plantas e muitos excrementos que se tornam meios de cultura para o desenvolvimento de fungos e bactérias que vão recobrindo a superfície das folhas e inibindo a fotossíntese”, esclareceu o agrônomo Genival Filho.
O pato ficou cego após ser atacado pelas formigas. A agricultora Marilene da Silva afirmou que esse não foi o único caso. “Perdemos 50 pintos. A gente perdia muitos patos, nem sabemos quantos”, disse.
As donas de casa encontraram alternativa para evitar que as formigas subam na cama durante a noite. Os pés das camas são colocados dentro de vasilhas com água. Os moradores passam o dia tentando se proteger das ferroadas.
Os especialistas coletaram material para identificar o tipo da formiga e os motivos da devastação causada por elas. “A partir do momento que conhecermos a espécie, poderemos partir para uma solução mais efetiva visto que os produtos utilizados não têm surtido o devido efeito”, completou o agrônomo.
Ainda neste mês, uma equipe de especialistas em insetos da Universidade Federal da Paraíba deve fazer uma visita à comunidade para avaliar o problema.